Previous Contents Next


10. Comandos

Listamos a seguir alguns dos principais comandos do UNIX, suas funções, opções e exemplos.

ls

lista o conteúdo de um ou mais diretórios.

Sintaxe: ls [opções] <arquivo>

Parâmetros:

-1

Mostra um elemento por linha de saída

-A

Lista todas as entradas, exceto '.' e '..'

-a

Mostra todos os arquivos, inclusive os ocultos

-l

Mostra a listagem com detalhes

-q

Mostra caracteres não-gráficos nos nomes dos arquivos, por exemplo, pontos de interrogação (?)



touch

atualiza a data de acesso do arquivo. Caso o arquivo não exista, touch cria um arquivo novo vazio.

Sintaxe: touch [-c] <arquivo>

O flag -c não permite que se crie o arquivo caso ele não exista

Exemplo: touch a.txt



more

lista o conteúdo de um arquivo, página por página.

Sintaxe: more <arquivo>

Uma vez dado o comando, têm-se comandos adicionais internos:

Espaço

avançar uma tela

Ctrl b

voltar uma tela

Ctrl f

avançar uma tela

Enter

avançar uma linha

/

procurar cadeia de caracteres

q

sair



cat

lê um ou mais arquivo e imprime-o na saída padrão.

Sintaxe: cat [opções] <arquivo>

Com o operador >, o comando cat pode criar um arquivo novo ou combinar vários arquivos num novo arquivo.

Com o operador >>, cat acrescenta arquivos num arquivo existente.

Exercício 11: Crie dois arquivos utilizando o comando cat.

Exercício 12: Veja um dos arquivos criados utilizando o comando cat.

Exercício 13: Concatene os dois arquivos em um terceiro arquivo.

Exercício 14: Acrescente um arquivo ao final de outro.



cp

copia arquivos.

Sintaxe: cp [-ipr] <arquivo> <destino>

Parâmetros:

-i

Pede confirmação antes de copiar cada arquivo.

-p

Mantém na cópia as datas de modificação e as permissões do arquivo original.

-r

Copia todos os arquivos e subdiretórios abaixo do diretório especificado.



rm

remove arquivos.

Sintaxe: rm [-ifr] <arquivo>

Parâmetros:

-i

Pede confirmação antes de remover cada arquivo.

-f

"force" - sempre remove os arquivos.

-r

"recursivo" - remove todos os arquivos e subdiretórios abaixo do diretório especificado.



mv

renomeia arquivos.

Sintaxe: mv [-i] <arquivo> <destino>

A opção -i pede confirmação antes de sobrescrever outro arquivo.



mkdir

cria diretórios.

Sintaxe: mkdir <diretório>

Exemplos:

mkdir Campinas

Cria o diretório Campinas

mkdir Campinas/Unicamp

Cria o diretório Unicamp como subdiretório do diretório Campinas

mkdir Campinas/Prefeitura

Cria o diretório Prefeitura como subdiretório do diretório Campinas



cd

muda do diretório atual para o diretório dir.

Sintaxe: cd [dir]

Exercício 15: Entre no diretório Unicamp e execute o comando 'cd ~'.

Exercício 16: Entre diretamente no diretório Unicamp fornecendo o caminho inteiro: cd /home/nome_usuário/Campinas/Unicamp.

Exercício 17: A partir do diretório Unicamp, vá ao diretório Prefeitura: cd ../Prefeitura.

Temos a seguir algumas abreviações úteis de diretórios:

~ diretório home do usuário

. diretório atual

.. diretório acima

Exercício 18: Uma vez no diretório Prefeitura, vá para um diretório acima.



chmod

este comando altera o modo de acesso ou as permissões, de um ou mais arquivos.

Sintaxe: chmod permissões <arquivo>

Somente o owner do arquivo ou o root podem mudar as permissões.

Para verificar as permissões de um arquivo, digite o comando 'ls -l' no prompt.

Para cada diretório e arquivo contido na pasta atual, teremos uma linha com seus dados. Por exemplo, para os arquivos tutorialunix e alcaparra.c temos:

drwxrwxr-x

2

owner

grupo

4096

Jun 25 16:37

tutorialunix

-rw-rw-r--

1

owner

grupo

0

Jun 25 16:36

alcaparra.c

O primeiro símbolo representa o tipo de arquivo. Assim, 'd' do tutorialunix significa que este é um diretório e '-' significa que o alcaparra.c é um arquivo comum.

Os próximos 9 símbolos são divididos em 3 grupos de 3 símbolos cada. Os três símbolos do primeiro grupo são as permissões do owner ou dono da conta (u). Os próximos três são as permissões do grupo (g) a que o dono pertence. Os três últimos são as permissões de outros usuários (o) que não façam parte do seu grupo. Na alteração das permissões, podemos representar todas as categorias anteriores por (a).

As formas de permissões são: leitura (r), escrita (w) e execução (x). Estas permissões também podem ser representadas de modo numérico: leitura (4), escrita (2) e execução (1), e neste caso, a combinação das permissões pode ser obtida somando os algarismos 4, 2 e 1. Obendo então:

nenhuma permissão: 0 (zero)

permissão de escrita e execução: 3 (2+1)

permissão de leitura e execução: 5 (4+1)

permissão de leitura e escrita: 6 (4+2)

permissão de leitura, escrita e execução: 7 (4+2+1)

As permissões podem ser adicionadas (+) e removidas (-).

Exemplos:

chmod g+w fileout.txt

A permissão de escrita é adicionada ao arquivo fileout.txt para usuários pertencentes ao mesmo grupo.

chmod 754 fileout.txt

Atribui ao arquivo fileout.txt, as permissões de leitura, escrita e execução ao dono do arquivo, as permissões de leitura e execução aos usuários pertencentes ao mesmo grupo e a permissão de leitura aos demais usuários que não pertencem ao mesmo grupo.

chmod u+x file01

Torna o arquivo file01 executável para o seu dono.



find

procura arquivos. Devido sua versatilidade, tem também outras aplicações, consulte o Manual para detalhes.

Exemplo:

find -name file03

Procura o arquivo file03.

find /doc -name cod*

Procura dentro do diretório doc os aquivos que começam com cod (cod01, cod02, codteste, etc).



pwd

mostra o nome do diretório corrente.




Previous Contents Next