Serviços  
 
    FAQ:Execução de Programas
 



    Por que alguns aplicativos não executam e apresentam a mensagem "can't open display"?
 
    Os aplicativos que trabalham em "janelas" enviam a saída (de vídeo) para a máquina indicada pela variável DISPLAY.
    Sempre que você executar algum aplicativo em uma máquina remota, pode ser necessário setar a variável de
    ambiente DISPLAY com o nome da máquina em que você está trabalhando.
    Por exemplo, se vocé estiver trabalhando na máquina marumbi do DCC e executando um aplicativo na máquina
    cenapad. Na máquina cenapad você deve executar:
setenv DISPLAY nome-da-máquina : 0.0

    onde o nome-da-máquina deve ser fornecido completo - por exemplo, marumbi.dcc.unicamp.br para a máquina
    marumbi. Na máquina em que vocé estiver trabalhando (no caso, a marumbi) você deve executar o comando:
xhost [nome_da_máquina_em_que_você_está]

    para permitir que os aplicativos remotos tenham acesso ao display. No exemplo anterior, na sua máquina você deve
    usar xhost marumbi.



    Existe alguma política do número de jobs por usuário para cada máquina?
 
    Consulte a página sobre o Sistema de Filas (LoadLeveler), no endereço:
http://www.cenapad.unicamp.br/parque/filas.shtml



    O que significam as mensagens "No such buffer" ou "No current buffer" apresentadas pelo sistema?
 
    Estas mensagens são causadas provavelmente por falta de memória. O limite de um buffer é o limite de memória
    disponível no momento da execução do programa.
    Consulte a página sobre as Arquiteturas de hardware no CENAPAD-SP para mais informações sobre a quantidade
    de memória disponível em cada máquina.



    Existem arquivos que são mostrados pelo comando ls mas não são vistos por nenhum outro.
    Como posso acessá-los?

 
    Algumas vezes um processo pode gerar um arquivo cujo nome contenha caracteres especiais, que não são letras,
    números ou outros símbolos "imprimíveis". Use o comando:
ls -l | cat -v

    Para visualizar os caracteres especiais que possam existir nos nomes dos arquivos. A opção -v do comando cat força
    sua apresentação como sequências de teclas - por exemplo, CTRL+A (^A), CTRL+B (^B), etc.



    Para que serve o arquivo gmon.out que é gerado por alguns de meus processos?
 
    Este arquivo contém informações que permitem fazer análise do processo executado - tempos de execução, número de
    vezes que uma rotina foi chamada, entre outras.
    Em alguns compiladores, a opção -pg é que faz com que a execução do programa gere este arquivo.
    Seu conteúdo pode ser lido com o comando gprof [gmon.out]



    Quando submeto meu programa FORTRAN ao LoadLeveler ele não é executado por falta de memória (é
    exibida a mensagem "not enough space"). O que devo fazer ??

 
    O compilador FORTRAN (xlf) assume por default que o programa não vai usar mais do que 256 MB de memória.
    Para programas que necessitem de mais memória do que isso, é preciso que a compilação seja feita utilizando o flag
    -bmaxdata (e opcionalmente o flag -bmaxstack). Temos na manpage do xlf :
-bmaxdata:<bytes>
Specifies the maximum amount of space to reserve for the program data
segment for programs where the size of these regions is a constraint.

-bmaxstack:<bytes>
Specifies the maximum amount of space to reserve for the program stack
segment for programs where the size of these regions is a constraint.

    Um exemplo de compilação usando esses flags (para um programa de 800 MB):
xlf meuprog.f -bmaxdata:800000000 -bmaxstack:800000000 -o meuprog



    Voltar ao FAQs